sábado, 26 de março de 2011

RAZÕES PARA TRATAR BACHARÉIS EM DIREITO DE DOUTOR


Dia desses  alguém me chamou de Doutora em um desses sites de relacionamentos, confesso que me senti constrangida em ser chamada assim por ser apenas bacharelanda e por somente considerar Doutor quem fez Doutorado. 
Então essa pessoa me disse: _Tudo bem até concordo que ainda é estudante, mas  quando se formar terá que se conformar com o título, pois o Direito de usá-lo é da época de DOM PEDRO, quando foi definido por Lei.
Como sou muito curiosa e tenho paixão por descobrir a origem de tudo, fui pesquisar e descobri que tal pessoa tinha razão, e assim como eu,  creio que muitos não sabem a origem de tal título, por isso resolvi postar neste espaço a título de curiosidade.
Pois minha pretensão em fazer direito não é somente ter um título para ostentação, mas por me a serviço de uma profissão, que irá me conferir a oportunidade de contribuir com uma mudança social.
Pode até parecer um tanto utópico, mas é um sonho.
E quando tenho um sonho corro atrás para realiza-lo, pago o preço e com determinação sempre alcanço os resultados.
Acredito no Direito como uma forma pacificadora da convivência humana, um meio de combater a violência, a corrupção  e de socorrer aqueles que precisam recorrer ao Poder do Estado.
Acredito no direito como um meio de servir a todo ser humano, sem distinção e sem preconceitos, de cor, raça ou poder aquisitivo,  para dirimir conflitos e estabelecer a paz.
Penso que o Título "Doutor" acarreta imensa responsabilidade; então espero brindar os 5 anos de faculdade com a Carteira da OAB, para assim sentir-me digna de tal titularidade.


"...Razões para tratar bacharéis em direito de doutor.

O título de doutor concedido aos bacharéis em Direito tem por base o artigo 9º, da Lei do Império, de 11 de agosto de 1827.

“Art. 9.º – Os que freqüentarem os cinco anos de qualquer dos Cursos, com approvação, conseguirão o gráo de Bachareis formados. Haverá tambem o grào de Doutor, que será conferido áqueles que se habilitarem com os requisitos que se especificarem nos Estatutos, que devem formar-se, e sò os que o obtiverem, poderão ser escolhidos para Lentes.”
Fonte: Direito net Carlos Vinicius,28/01/2008 


E o bom senso? Nada melhor para pensar nessas horas do que o bom senso. Seja em direito ou não, qualquer tipo de título é capaz de dar a quem recebe um certo status superior àqueles que não o possuem. 
O que faz com que aquele que acha que, porque é seu direito ser chamado de Doutor, todos DEVEM, chamá-lo de doutor somente para sentir-se acima dos outros.

Será que duas letras antes do nome fazem alguém ser  melhor profissional do direito?

Muita gente defende com veêmencia o título e como aquela pessoa que me chamou de Doutora, fundamenta  tal atitude com base na lei.
Se nós estudantes de direito seremos doutores ou não  é o que menos importa. 
O importante mesmo é que sejamos bons operadores do direito, éticos, cumpridores da Norma e da moral.
Tudo isso me fez lembrar uma aula DE FORMAÇÃO DO HOMEM CONTEMPORÂNEO em que o professor realizou a simulação de um Julgamento com a participação dos alunos, e no final ele terminou dizendo:- "... É incrível observar e ver como um título e o poder são capazes de revelar a verdadeira personalidade de uma pessoa..." 
Tive vários vendedores de sonhos em minha vida, mestres que em sala de aula, com suas inteligências e gestos, que me inspiraram, me ensinaram e me fizeram ver minha pequenez e o quanto se faz  necessário: "... dedicar-me e abdicar-me..." para realizar meus sonhos, eles alargaram e alargam as fronteiras do meu intelecto e se tornam agentes modificadores do meu mundo, assim como desejo ser agente modificadora do mundo de muitas pessoas.
Portanto meus sonhos são projetos de vida e não desejos que se esfacelam no calor das tormentas., eles podem me levar a lugares inimagináveis...
Sendo assim quando for especialista em Direito e tiver feito Doutorado, ai sim , me sentirei confortável em ser chamada de Doutora.
Até porque o art. 9º do Decreto Imperial de 1º de agosto de 1825 foi tacitamente revogado pelo art. 53, VI da LEI DE DIRETRIZES BÁSICAS, que garante às universidades a atribuição de conferir graus, diplomas e outros títulos. 


Leila S Ribeiro Uzum


Nenhum comentário:

Postar um comentário